pixel

10 BENEFÍCIOS DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA

  1. REDUÇÃO DE PRAZOS de execução de obras devido a maior produtividade, melhor planejamento e nível de controle, que evita retrabalho, e eliminação das interrupções devidas a condições climáticas.
  2. MAIOR CONTROLE DE CUSTOS e maior previsibilidade devido ao planejamento detalhado e ao melhor controle durante a execução, minimizando a demanda por aditivos contratuais.
  3. ELEVADO NÍVEL DE CONTROLE DE QUALIDADE proporcionado pela produção em ambiente de fábrica.
  4. MENOR DESPERDÍCIO DE MATERIAIS devido ao planejamento prévio e precisão na execução.
  5. MAIOR SUSTENTABILIDADE devido: ao uso racional de recursos; à redução do transporte de materiais e de resíduos; à redução de impactos de ruído e poluição no canteiro; e à facilidade de reciclagem e reutilização ao final do ciclo de vida do empreendimento.
  6. BOAS CONDIÇÕES PARA OS TRABALHADORES pela oferta de empregos qualificados na produção em fábricas e pela melhoria de organização, limpeza e segurança nos canteiros de obras.
  7. EFICIÊNCIA E FLEXIBILIDADE para adaptações, ampliações e reformas de obras existentes de edifícios e infraestrutura sem necessidade de interrupção da operação destas durante a execução.
  8. FLEXIBILIDADE PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ARROJADOS e de expressão arquitetônica marcante.
  9. COMPATIBILIDADE com outros sistemas construtivos permitindo combinação de diferentes tecnologias para atender a requisitos da arquitetura, de desempenho e sustentabilidade.
  10. USO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS de produção, com aplicação de BIM e ferramentas da indústria 4.0.

O QUE É CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA?

A industrialização representa o mais elevado estágio de racionalização dos processos construtivos e, independente da origem de seu material, está associada à produção dos componentes em ambiente industrial e, posteriormente, montados nos canteiros de obra, assemelhando-se às montadoras de veículos, possibilitando melhores condições de controle e a adoção de novas tecnologias.

As soluções técnicas com sistemas construtivos industrializados podem ser aplicadas nas diferentes partes das obras: estruturas, vedações, coberturas, fachadas, revestimentos internos, sistemas prediais hidráulicos, elétricos e outros.

No caso das estruturas, o trabalho pode ser executado em frentes simultâneas, com diminuição de formas e escoramentos e sem interferência de chuvas, reduzindo em até 50% o tempo de execução da obra quando comparada à construção convencional.

O uso dos recursos materiais e humanos mais planejado e racional reduz a geração de resíduos de obra e os desperdícios de materiais que, em construção convencionais, pode chegar a 25% em peso, com elevados impactos de transporte e descarte.

MOTIVOS PARA INCENTIVAR

Para construção habitacional – alta produtividade e custo global competitivo para solucionar déficit. Exemplos – Europa do pós guerra e Europa atual com demanda oriunda da imigração.

Para edifícios de uso público (hospitais e postos de saúde, escolas, equipamentos esportivos) – soluções técnicas para melhor aproveitamento dos espaços, melhor controle de custos e redução de prazo.

Para infraestrutura (viária, mobilidade urbana, aeroportos, portos) – redução de prazo de execução, melhoria de controle, versatilidade que evita interrupção da operação durante obras de expansão e reforma.

O QUE PRECISAMOS PARA CRESCER

  • Solucionar falta de isonomia tributária entre sistemas construtivos industrializados e sistemas convencionais;
  • Ampliar a comunicação e qualificação dos agentes públicos contratantes e técnicos do setor (projetistas, construtoras, incorporadoras, fabricantes) sobre conceitos e benefícios dos sistemas construtivos industrializados;
  • Adequar modelos de contratação de obras para permitir parcerias/consórcios entre construtoras e fabricantes e fornecedores de serviços de montagem de sistemas construtivos industrializados;
  • Adequar sistemas de medição e liberação de recursos em obras públicas para considerar que com sistemas construtivos industrializados partes das obras são produzidas fora de canteiro (sistemas produzidos em fábrica) prévia ou simultaneamente a outras partes construídas em canteiro;
  • Adequar os índices de composições de custos referenciais para contratação de obras públicas para incluir as atividades de produção e montagem de sistemas construtivos industrializados.

Fonte: ABCIC

Iniciar conversa